WikiLeaks: maior associação europeia hackers criticam “culto da personalidade” de Assange

WikiLeaks: maior associação europeia hackers critica Assange

A maior associação europeia de ‘hackers’ congratulou-se hoje com a divulgação de telegramas diplomáticos norte-americanos pelo site WikiLeaks, mas criticou o papel do fundador do portal e dos cinco jornais que tiveram acesso à totalidade dos documentos.

“Apesar de não termos uma posição conjunta, todos estamos de acordo de que fomentar a transparência do trabalho dos governos é positivo”, afirmou o porta-voz do Chaos Computer Club (CCC) à agência noticiosa EFE.

Andreas Bogk explicou, no entanto, que os milhares de piratas informáticos atualmente reunidos num congresso em Berlim mostram-se céticos quanto ao “culto da personalidade” que se gerou em torno do fundador do Wikileaks, Julian Assange, que consideram tem diminuído o impacto da informação revelada.

O Chaos Computer Club critica igualmente os cinco jornais internacionais que receberam em exclusivo a totalidade do correio diplomático norte-americano obtido pelo Wikileaks (The Guardian, El País, New York Times, Le Monde e Der Spiegel), considerando que estes não têm explorado ao máximo a potencialidade dessas informações.

via DiárioDigital

Anúncios

WiKileaks: organização internacional Repórteres Sem Fronteiras criam mirror

Repórteres Sem Fronteiras hospedam WikiLeaks

A organização internacional Repórteres Sem Fronteiras, defensora da liberdade de imprensa no mundo, aloja a partir de hoje, terça-feira, um ‘site-espelho’ do WikiLeaks “perante a censura e a perseguição” a que este portal tem sido submetido.

A iniciativa foi anunciada num comunicado emitido pela organização, onde esta refere que o ‘site-espelho’ (wikileaks.rsf.org) se destina a disponibilizar os telegramas diplomáticos norte-americanos revelados pelo WikiLeaks, e que têm causado embaraço internacional.

O “apoio simbólico” da organização surge numa altura em que vários serviços de hospedagem de sites se têm recusado a albergar o WikiLeaks que, em finais de Novembro, começou a divulgar 250 mil telegramas confidenciais da diplomacia norte-americana.
[…]

Ler mais deste artigo

Wikileaks: Censura na TIME na escolha da personalidade mais influentes do ano

Wikileaks

Censura na TIME na escolha da personalidade mais influentes do ano

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Julian Assange foi o vencedor da votação para Pessoa do Ano da revista TIME, mas foi censurado pela revista, obtendo 382.026 votos o fundador da WikiLeaks, contra Zuckerberg (Facebook) teve apenas 18.5523

Com maioria quase absoluta, Julian Assange foi a Pessoa do Ano eleita pelos leitores. Mas os editores da revista decidiram conceder o prémio final ao número dez da lista, Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook.
Free Image Hosting at www.ImageShack.us
O “acto de censura” que está a gerar uma onda de criticismo no mundo cibernético, dizem, já podia ser adivinhado pela capa da TIME de há duas semanas, em que Assange aparece com uma mordaça versão bandeira dos EUA na boca, sob o título: “Do you want to know a secret?”

ionline:
Foi Julian Assange quem ganhou votação para Pessoa do Ano da revista TIME
Mark Zuckerberg é o “homem do ano” da revista Time

Como funciona o WikiLeaks?

Wikileaks

Como funciona o WikiLeaks

O sitio web criado por Julian Assange, é considerado já um novo ícone do jornalismo investigativo e também vem sendo duramente condenado como risco à segurança internacional. 

Desde Julho de 2007, o WikiLeaks publica documentos delicados por meio do que descreve como “vazamento com princípios”. O site já abrigou mais de 1 milhão de documentos, desde o manual da prisão de Guantánamo até a lista de filiados do Partido Nacional britânico, de extrema-direita.

Seu vazamento de mais alto impacto havia sido em abril deste ano, com um vídeo de 2007 que aparentemente mostra um helicóptero dos EUA disparando contra um grupo em Bagdá, matando dois funcionários da agência de notícias Reuters. Assange não viaja aos EUA desde então, por receio de ser preso.

Desde então, contudo, o site voltou às manchetes de todo o mundo com vazamentos de milhares de documentos das guerras do Afeganistão e do Iraque e, no seu mais recente “lançamento”, 250 mil documentos secretos diplomáticos dos EUA.


inforgrafia por folha.com

 

» ir para Wikileaks 

Relacionados:

»WikiLeaks, Assange diz que sua libertação vai acelerar os trabalhos o site
»Força Aérea norte-americana proíbe o acesso às informações publicadas pelo Wikileaks
»Petição a favor do WikiLeaks reúne 600.000 assinaturas
»Wikileaks Mirrors, currently mirrored on 1885 sites

Powered by ScribeFire.

Força Aérea norte-americana proíbe o acesso às informações publicadas pelo Wikileaks

WikiLeaks
A Força Aérea dos Estados Unidos bloqueou o acesso dos seus computadores a 25 páginas online que remetem para os 250 mil documentos diplomáticos do Departamento de Estado capturados pelo Wikileaks.

“Frequentemente, a Força Aérea bloqueia o acesso da sua rede a sites que alberguem material inapropriado ou “malware” (vírus), e isto inclui qualquer site que publique material classificado”, informou um porta-voz do Comando Espacial da Força Aérea do Clorado, Toni Tones.

A Força Aérea proibiu mesmo o acesso às páginas online dos jornais “El País”, “The New York Times”, “The Guardian, “Le Monde”, “Der Spiegel” e muitos outros jornais que têm divulgado as informações reveladas do Wikileaks.

A medida já começou a suscitar, entretanto, algumas reacções. “É lamentável que a Força Aérea norte-americana não permita com que os seus funcionários tenham acesso a informações às quais se pode ter acesso a partir de qualquer parte do mundo”, disse o porta-voz do jornal “The New York Times”, Robert Christie.

Antes destas restrições impostas pela Força Aérea, o Pentágono já tinha proibido, aos seus funcionários, o acesso a cinco jornais internacionais que publicam as informações reveladas pelo Wikileaks.
ionline

Relacionados:
WikiLeaks, Moore dá 20 mil euros a Assange para pagar caução
Petição a favor do WikiLeaks reúne 600.000 assinaturas

Powered by ScribeFire.

WikiLeaks, Moore dá 20 mil euros a Assange para pagar caução

Wikileaks

O realizador norte-americano Michael Moore disse ontem que ofereceu 20 mil euros ao fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, para ajudá-lo a pagar a caução em tribunal
O cineasta anunciou ainda que coloca o seu próprio “site” e o seu servidor à disposição para ajudar o WikiLeaks a continuar a difundir informações secretas.

O fundador do WikiLeaks está detido em Londres, onde um tribunal decidirá se atende o pedido de extradição apresentado pela Suécia, onde é acusado de crimes sexuais. A caução reclamada a Assange para poder estar em liberdade condicional ascende a 200 mil libras (cerca de 238 mil euros).

Destaques:
Petição a favor do WikiLeaks reúne 600.000 assinaturas
Wikileaks Mirrors, currently mirrored on 1885 sites

Powered by ScribeFire.

Petição a favor do WikiLeaks reúne 600.000 assinaturas

Petição a favor do WikiLeaks reúne 600.000 assinaturas


Uma petição on-line com um apelo a um fim à “campanha de intimidação” contra WikiLeaks reuniu nesta segunda-feira cerca de 600.000 assinaturas, na véspera do comparecimento, em um tribunal, de Londres, do fundador do site, Julian Assange.

A solicitação é dirigida “aos Estados Unidos e a outros governos e sociedades envolvidas na repressão do WikiLeaks”.

O apelo está a ser divulgado no site americano [Avaaz.org], especializado nas petições on-line e nas campanhas de lobbying.

“Nós os exortamos a respeitar os princípios democráticos e as leis sobre a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa. Se WikiLeaks e os jornalistas com os quais o site trabalha enfrentarem uma lei qualquer, deverão ser processados judicialmente. Não deverão ser sujeitos à campanha de intimidação extrajudicial”, acrescenta o texto da petição.

Na tarde desta segunda-feira, o texto reuniu um pouco mais de 590.000 assinaturas, segundo o site Avaaz.

Julian Assange, fundador do WikiLeaks, preso desde 7 de Dezembro em Londres por presumíveis agressões sexuais na Suécia, comparecerá pessoalmente nesta terça-feira ante um tribunal de Londres.
»» http://www.avaaz.org/en/wikileaks_petition/?slideshow

Powered by ScribeFire.

Wikileaks: Anonymous ameaça sabotar o sistema judicial britânico se Assange for extraditado

Wikileaks

O grupo ativista Anonymous, que atacou as páginas da Mastercard, Visa e PayPal, ameaça sabotar o sistema judicial britânico se o fundador do Wikileaks, Julian Assange, for extraditado do Reino Unido para a Suécia, revela o The Sunday Times.

De acordo com o jornal, os ativistas lançariam um ataque contra o sistema informático do Serviço Público de Processamentos (CPS, na sigla em inglês) e a outros departamentos governamentais relacionados com a extradição, como protesto caso o australiano Assange seja entregue às autoridades suecas para julgamento.

O Anonymous também poderá atacar os sistemas da prisão de Wandsworth, em Londres, onde Assange, de 39 anos, está detido, segundo o The Sunday Times.

Share, blogue isto…
Mundo – Anonymous ameaça sabotar o sistema judicial britânico se Assange for extraditado – RTP Noticias

, , ,

Powered by ScribeFire.

%d bloggers like this: